top of page
  • Foto do escritorIBGS

TECNOLOGIA, INCLUSÃO E CONSCIENTIZAÇÃO: IBGS APOSTA EM MATERIAIS INÉDITOS PARA EDUCAÇÃO DE NEVES

Com maquete feita de materiais eletrônicos, um teclado maker com programação Scratch e um robô reciclado que é acionado por meio de um tablet, os facilitadores IBGS desenvolveram materiais para trabalharem tecnologia e inclusão nas escolas municipais de Ribeirão das Neves.



Facilitadores do IBGS mostrando material sob uma bancada para professores.
Facilitadores do IBGS apresentam a servidores públicos da educação materiais didáticos com Scratch durante Jornada Pedagógica.


No dia 03/08/2023, o IBGS participou da II Jornada Pedagógica de Ribeirão das Neves. No encontro, nossos facilitadores do programa EducaTec apresentaram os materiais que serão incluídos por meio dos projetos em andamento para o segundo semestre da rede municipal da educação.


O tema escolhido da segunda edição da Jornada foi "Ensino de Qualidade", por isso, o IBGS e seus facilitadores se anteciparam e prepararam materiais exclusivos com o uso da tecnologia Scratch, por exemplo, para auxiliar. no ensino-aprendizagem dos alunos e alunas, visando inclusão.


Além disso, buscou-se a conscientização através da utilização de materiais reciclados, para isso, nossos facilitadores construíram uma maquete de materiais reciclados, como placas de mdf, placas mãe e pentes de memória de computadores, sucata de tv lcd, tubos de pvcs, LED’s e botões de cpu1s para ilustrar a potencialidade do crescimento de Neves por intermédio dessa metáfora que uniu educação, tecnologia, construção manual e sustentabilidade. Nesse sentido, essa construção, assim como os outros stands expostos durante a jornada pedagógica, sustenta a proposta do IBGS de contribuir com a formação de uma educação criativa, inovadora e crítica.


Ainda, nossos stands contaram com uma experiência imersiva com os óculos de realidade virtual, um kit de caravela automatizada com microbit que auxilia no ensino sobre história, a título de ilustrar, por exemplo, uma aula sobre Grandes Navegações, a apresentação do livro Scratch Book, que será distribuído nas escolas em setembro com cards de exercícios de programação visual em blocos com o Scratch, um teclado musical de programação Scratch e um robô de materiais recicláveis que é acionado por intermédio de um tablet. Conheça um pouco mais sobre as propostas apresentadas e as possibilidades de uso no dia a dia escolar.



INCLUSÃO COM TECLADO SCRATCH


Duas pessoas com um fio conectado ao dedo e tocando teclas coloridas feitas de papel alumínio.
Participantes da II Jornada Pedagógica experimentam Teclado Scratch

Foi através da observação de um aluno de uma das escolas que o programa EducaTec atende, que uma de nossas facilitadoras, Sarah Olivetto, levantou a ideia da construção de um teclado que reproduzisse sons.


O aluno em questão, que está dentro do Transtorno de Espectro Autista (TEA), se mostra incomodado com os ruídos que os outros alunos e o ambiente da sala de aula proporcionam. No entanto, se concentra nos próprios sons emitidos por objetos, como lápis, caneta ou até as próprias mãos. Ele constrói sons batucando na mesa, como um instrumento musical. Dessa forma, ciente dos recursos de programação que o Scratch oferece, os facilitadores IBGS construíram um teclado feito de papel alumínio e EVA colorido conectado a um tablet para emitir sons. Assim foi criado o Teclado Scratch.


Para utilizar o teclado, o estudante estabelece uma conexão energética ao utilizar um cabo conectado ao próprio dedo. Isso habilita a transmissão e reprodução do som programado ao entrar em contato com qualquer parte do corpo na área da tecla de papel alumínio. Além disso, os mentores destacam a versatilidade desse teclado, que pode ser compartilhado entre o aluno e seu acompanhante. Isso quer dizer que uma segunda pessoa, ao tocar a primeira que segura o cabo energético, se torna, também, capaz de operar o teclado de maneira eficaz, assim, quase um musicista.


Dessa maneira, esse instrumento construído com programação simples pode ser utilizado em sala de aula, com um fone de ouvido e também fora dela, nos momentos de descontração. Além de trabalhar instrumentos musicais, existe potencial para que se explore a escuta de histórias, funções matemáticas, pronúncia de palavras em inglês etc, basta programar o teclado para que sejam esses o sons emitidos.



ATIVIDADES MINDFULLNESS COM O ROBÔ STEVE


Um homem apertando um botão do robô construindo com papelão e EVA. Ele está utilizando fones de ouvido e sorrindo.
Participante interage com o Robô Steve durante Jornada Pedagógica

Outro material construído a partir do acompanhamento de atividades com alunos de inclusão foi a construção do personagem principal Steve, do jogo eletrônico Minecraft, a partir do reaproveitamento de caixas de papelão, cartolinas e um tablet com otimização em programação Scratch. Assim, surgiu um pequeno robô, carinhosamente nomeado de "MineScratch" por seus criadores.


A atividade proposta com o uso do robô Steve é trabalhar práticas mindfullnes com os alunos com ansiedade, ou no TEA. Ele conta com cinco botões programados com sons da natureza, tais como: barulho de galhos queimando, barulho do vento, de galhos de árvore balançando, entre outros. Dessa forma, o aluno com o fone de ouvido, abafa os ruídos da sala de aula, torna-se imerso nos sons de sua preferência.


Essa meditação guiada a partir dos sons da natureza pode tranquilizar os estudantes que são afetados pela hipersensibilidade, ou até mesmo ser utilizada com um aluno agitado para acalmá-lo antes das aulas, o que faz com que este estudante consiga se concentrar mais no conteúdo que será desenvolvido em seguida. Ao acalmarmos o aluno, conseguimos melhorar o foco dele e, consequentemente, sua memorização do conteúdo, pois conseguirá se concentrar e, dessa maneira, o aprendizado do estudante é potencializado. ¹


Ainda que o principal objetivo da utilização do Steve seja a diminuição das crises de ansiedade dos alunos com sobrecarga sensorial, além da proposta de meditação guiada, apresentada na jornada pedagógica, é possível reprogramar o boneco Steve para ser utilizado em outros campos de conhecimento dentro da sala de aula, como ciências, matemática, português, história e muito mais. Assim, o projeto pode ser usado de forma transversal e plural.



NEVES DO FUTURO: TECNOLOGIA, ENERGIA

E SUSTENTABILIDADE



5 mulheres observam maquete enquanto uma sexta mulher explica sobre o conteúdo.
Facilitadora IBGS apresentando a maquete para servidoras da educação municipal de Neves.


Por meio do reaproveitamento de materiais eletrônicos recolhidos pelo programa Recirculando do Instituto Brasileiro de Gestão Social (IBGS), os facilitadores de Neves realizaram a construção da maquete Neves do Futuro.


Construída com peças de computadores, smartphones e otimizada com robótica e tecnologia em microbit, a maquete apresenta como proposta pensar e construir um futuro para o município de Ribeirão das Neves. Utilizando a referência da planta estrutural do centro da cidade, os facilitadores criaram uma reprodução do município com um cenário futurista. Para isso, desenharam alguns bairros da região central e incluíram pontos importantes da cidade, como a Prefeitura de Ribeirão das Neves, a Secretaria Municipal de Educação junto a um complexo de escolas municipais, a quadra do Henfil, a Igreja Nossa Senhora das Neves, a Cidade dos Meninos, a Paróquia Nossa Senhora das Neves, o ponto turístico casa invertida e até mesmo o Polo do IBGS que está sendo construído.


É claro que, ao falar sobre o futuro, os criadores de "Neves do Futuro" não poderiam deixar de imaginar bastante tecnologia. Microbits e lâmpadas de led foram instaladas na maquete, que são acionadas por energia, para fazer a iluminação da Cidade e também para sinalizar os pontos principais com letreiros luminosos.


Houve também a preocupação de pensar um transporte do futuro, com a construção de um aeroporto, onde abrigaria os mais tecnológicos aviões e helicópteros, além de um animal totalmente robotizado que também poderia servir de transporte. Para as profissões, idealizaram e criaram robôs de teclas de computador, para, assim, realizar atividades que pudessem ser otimizadas na cidade, como servir bebidas e comida… sinalizar os direcionamentos para que o Piloto de avião pouse em segurança, varrer aspirar e coletar o lixo, fazer a manutenção elétrica da cidade, e outros.



Uma figura construida com caixa de ovos de papelão, olhos e antenas de mentira, palitos de picolé nos pés e automatizada.
Animal Robô construído pelos facilitadores do IBGS.


Mesmo com toda tecnologia, Neves do Futuro não deixa de ter preocupações com questões ecológicas, por isso, vegetações foram colocadas em harmonia com todas as estações tecnológicas da cidade. Essa conciliação gera uma reflexão sobre a possibilidade de um cenário futuro sustentável que apenas poderá ser conquistado com o reaproveitamento de recursos e, sobretudo, com a preservação do meio ambiente.


Estes e outros materiais serão trabalhados em algumas escolas municipais de Ribeirão das Neves. Por intermédio desses projetos, pretendemos, em companhia da SMED, auxiliar os educadores do município.


 

1. AIRES FILHO, de SAA. Educação Musical e Autismo: um estudo sobre o desenvolvimento de crianças autistas na musicalização infantil. Dissertação (Mestrado em Educação Musical) – Programa de Pós-Graduação em Música, do Centro de Comunicação, Turismo e Artes – CCTA, da Universidade Federal da Paraíba – UFPB. João Pessoa, p. 115. 2020.



20 visualizações0 comentário
bottom of page